Zerar ICMS? Fritura de governadores

Foto: Folha de S. Paulo


“Eu zero o [imposto] federal se eles [os governadores] zerarem o ICMS”. O desafio lançado por Jair Bolsonaro na quarta-feira (5) reverberou nas redes sociais e provocou uma volumosa e coesa onda de ataques aos governadores no Twitter, onde o principal alvo foi João Doria (PSDB/SP).


Antes desta declaração na saída do Palácio da Alvorada, o presidente já havia manifestado insatisfação com o percentual do ICMS sobre combustíveis, cobrado pelos Estados. Bolsonaro mencionou as quedas recentes nos preços das refinarias, atribuindo aos governadores a responsabilidade pela não redução dos preços nos postos de gasolina.


João Doria rebateu o presidente e classificou o plano como “populista”. Embora outros 23 governadores também tenham se manifestado contrários à proposta, Doria entrou na mira das participativas contas de apoio a Bolsonaro no Twitter.


A Metapolítica mapeou as redes de discussão no Twitter e identificou as estratégias e resultados de apoiadores e opositores do governo. Carlos Bolsonaro liderou a rede de defesa do pai durante a repercussão.


Em relação aos temas das publicações, o sociólogo e analista de dados Arthur Ives, da Metapolítica, identificou no estudo do caso uma coesão entre usuários favoráveis a Bolsonaro e uma dispersão entre os contrários. “Essas manifestações ilustram como os lados mobilizam suas bases. Enquanto os apoiadores do presidente demonstravam concordância, mostrando insatisfação em relação aos governadores, a oposição se dispersou em críticas sem unidade, alheias a esse assunto“.


Arthur explica que, em números, pela amostra recolhida, a diferença da interação entre os dois grupos foi pequena - 27,93% de apoiadores e 22,24% de opositores. No entanto, a dispersão temática da oposição impediu que esse movimento gerasse impacto. “Tal como analisamos no caso Weintraub, isso demonstra um padrão de engajamento sempre assertivo por parte da base bolsonarista”, conclui.


____________________________________________________


Legenda:


Grupo azul (Bolsonarista) - 27,93% de abrangência na rede

Carlos Bolsonaro (@CarlosBolsonaro)

Paula Marisa (@profpaulamarisa)

Movimento Brasil Conservador (@EuSouMBC)

Conexão Política (@conexaopolitica)

Grupo laranja (Oposição) - 22,24% de abrangência na rede

Bernardo Melo Franco (@BernardoMF)

DCM Online (@DCM_online)

Sâmia Bomfim (@samiabomfim)

Ivan Valente (@IvanValente)


Outros Grupos - 49,83% de abrangência na rede


*O tamanho das @ representa o grau de influência dos usuários na rede

66 visualizações
Acompanhe nosso trabalho em:
Consultoria gratuita.png