CASO WAJNGARTEN: Reação no Twitter mira grande mídia

Atualizado: Jan 17

André Coelho/ Folhapress

Após a divulgação pela imprensa do caso que envolve distribuição de verbas públicas à empresa da qual é sócio o chefe da Secom, Fábio Wajngarten, internautas concentram críticas a dois representantes da grande mídia: Folha de S. Paulo e Jornal Nacional. Um por falar, outro por calar.


Segundo matéria publicada pela Folha nesta quarta-feira (15), a FW Comunicação e Marketing possui contratos com ao menos cinco empresas que recebem do governo, como Band e Record, que têm apresentado crescimento de participação nas verbas publicitárias da Secom.


A Metapolítica monitorou a movimentação do Twitter na manhã seguinte à publicação da reportagem, com objetivo de analisar e identificar quem foram os principais atores que dominaram as discussões no Twitter e de que forma sentimentos associados à temática foram mobilizados na rede social.


Além das previsíveis menções aos atores políticos diretamente associados, como o presidente Jair Bolsonaro e o próprio Fábio Wajngarten, destacam-se na análise as citações à Folha de S. Paulo, por ser responsável pela veiculação do caso, mas também ao Jornal Nacional, por ser o noticiário de maior audiência no Brasil e não ter mencionado o caso na edição desta quarta-feira do programa.


Para a análise, a Metapolítica classificou as reações dos internautas em sentimentos positivos, neutros ou negativos, em função de manifestações de, por exemplo, apoio ou crítica ao governo, contestação ou não à veracidade do evento, associação ou não do caso a corrupção.






65 visualizações
Acompanhe nosso trabalho em:
Fale conosco.png